quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Trilha sonora

É claro que não podia faltar a última trilha do ano não é?
Como eu falo muito de música, de amor, de paixão, de viver os sentimentos, etc., essa música cai direitinho.
Ah, e eu brinco um pouquinho com a tradição de fim de ano da Globo, rsrsrs.

"Sei tudo que o amor é capaz de me dar
Eu sei já sofri mas não deixo de amar
Se chorei ou se sorri
O importante é que emoções eu vivi..."

E agora é férias


Bom, o ritmo por aqui já estava um pouquinho lento em razão das festas de final do ano, mas agora é hora de uma paradinha.
Férias é assim, nada de computador, escrever é só na agenda, num papelzinho solto, numa cruzadinha, enfim, sossego, até porque eu vou no vento para onde tenha Sol e lá computador é algo difícil, rsrs.
Beijo a todos.


terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Amor é...

Amor é sentimento nobre, deve ser recebido e oferecido como uma benção e não uma maldição.
Amor aquece o coração, ilumina os olhos e enriquece a alma tanto dos que amam quanto dos que são amados.
Amor é sentimento singular e infinito, não se sabe quando começa, porque começa, nem quando termina, se é que termina.
Amor é..., ah, amor é sentimento, podemos tentar dizer, desenhar, imaginar, mas bom mesmo é sentir.

(essa foto é minha também, rsrs.)

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

2000inove

Adorei essa propaganda: é criativa, é inspiradora e a voz do Wagner Moura...
Resumindo, um excelente trabalho.
Feliz 2009 para todo mundo, que possamos inovar, inventar, renovar, reinventar, enfim, fazer de cada dia um momento especial.

Para 2009...


A partir de 1º de janeiro, viveremos todos sob a vibração universal do número 2 (resultado da soma de 2009, ou seja 2+0+0+9=11 e 1+1=2. Este é o ano, portanto, em que todo tipo de parceria viverá um período positivo. A união de forças vai predominar no momento de tomar decisões e alcançar objetivos. Aproveite a energia 1+1=2 do ano 2009 para se aproximar das pessoas que gosta, para valorizar a amizade, para dar apoio a quem precisa, para diminuir distâncias entre você e seus familiares.
Aí eu fui pesquisar o que o ano reserva para mim e deu nisso: ano propício para buscar o equilíbrio no amor. Você se vê diante de responsabilidades para ajudar os amigos e a família. Bom para reuniões de grupos de pessoas e para fechar contratos de trabalho. Você recebe o apoio de pessoas que querem o seu bem. Importante: ter disponibilidade para sair do seu individualismo e dar o valor e reconhecimento necessários e justos às pessoas de seu convívio. Cuidar: necessário ter bom julgamento para não se entregar demais às necessidades dos outros.
Então seja bem-vindo 2009.

(ah, a foto é minha).

domingo, 21 de dezembro de 2008

It girl


Já disse aqui o quanto admiro a simplicidade e a praticidade masculina, às vezes ouso tê-las em minha vida, mas quer saber: "eu sou mulherzinha" e, como diz a música "complicada e perfeitinha".
Um dia você acorda e dá tudo errado: academia, cabelo, roupa, trabalho, amor. Aí você fica irritada, faz manha, chora, enfim, tem todos os "chiliques do mundo".
Mas aí você dorme, e o sono também é um excelente tratamento de beleza, acorda disposta, o cabelo decide que vai se comportar, você encontra fácil a roupa que melhor cai bem, seu trabalho flui, seu o amor te liga só para te desejar um bom dia, tudo está perfeito e você fica um docinho.
É, ser mulher tem dessas coisas, a gente chora com ou sem motivo, faz de cada assunto bobo o problema maior do mundo, não tem compromisso com a lógica, mas também somos carinhosas, cuidadosas, atenciosas, delicadas enfim, ser mulher é ser assim "complicada e perfeitinha".

sábado, 20 de dezembro de 2008

E no ano que vem...

Wolverine é um dos meus heróis favoritos, ele faz parte do time do bem, mas não é aquele mocinho politicamente correto, todo certinho e engomadinho. Não tem poderes cósmicos, mas seu estilo, atitude e coragem o tornam um líder nato. Apesar da cara de mal, também é bem protetor, leal, tem senso de humor, enfim, um personagem apaixonante.
Bom, falei tudo isso porque já saiu o trailer do filme que vai falar da origem desse personagem e eu estou para lá de curiosa para ver como ficou.


Viva!!!!


Inspira-se em suas emoções,
vive-as intensamente,
sabia que são sua riqueza.
Descubra-se nessa viagem
não tema a dor
tema a inércia
a paralisia.
Renasça a cada Primavera
a estação estará a seu favor.
Durante o caminho
morremos e renascemos muitas vezes
essa é a natureza humana
cada instante é único
e jamais somos os mesmos.

Isabel

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Só hoje...


Faz algum tempo que tenho feito o exercício de ver o lado bom das coisas, pensar positivo, enfim, ter atitudes mais "para cima", vamos dizer assim, mas tem horas que é quase impossível.
Você vai para a academia e ela está lotada; chega no trabalho, descobre que sua amiga fraturou o pé, você vai ter que substituí-la e nada sai como você gostaria; sem querer desagrada uma pessoa que tanto adora; todo o trânsito do mundo concentrou-se no seu caminho e a chuva ajudou nesse trânsito. Enfim, todo o seu dia deu errado e ficou só aquela frase ecoando na cabeça o dia inteiro, como aquelas músicas chatas: "por que eu saí da cama hoje?".
Bom, está aí, o chuveiro está funcionando, aquele travesseiro gostoso ainda está lá acompanhado daquele cobertor quentinho e amanhã é outro dia, ufa!

domingo, 14 de dezembro de 2008

Realmente mágico

Fui ao show de aniversário de 5 anos da trupe do Teatro Mágico e o que posso dizer é que é realmente mágico.
Um espetáculo que reune música, poesia, teatro, crítica e arte circense; um espetáculo para cantar, dançar, rir, brincar e refletir.
Para mim que tenho música como algo vital e adoro poesia, foi emocionante.

"Onde já se viu o mar apaixonado por uma menina?
Quem já conseguiu dominar o amor?
Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa?
Por que a gente nunca sabe de quem vai gostar?"
(Ana e o Mar)

sábado, 13 de dezembro de 2008

Testando...


Passeando na web encontrei os testes: "que bicho que você é?" e "de que planeta você é?" do site Planeta Web, a gente responde umas perguntas e no final aparece o resultado.
Sempre que me deparo com esses testes, respondo, acho interessante ver os resultados, gosto de pensar a respeito, acredito que um ou outro possa ter um estudo e faça sentido, e também é uma divertida brincadeira.
Bom, no "que bicho você é?", eu sou uma Tartaruga: "este animal é o símbolo da sabedoria. Você sabe melhor do que ninguém que "devagar se vai ao longe" (é melhor fazer tudo com calma e direitinho para não tomar o caminho errado, não é mesmo!?!). Este seu jeito de levar a vida lhe traz uma baita experiência, que poderá ser compartilhada com os outros. A tartaruga sempre carrega muita bagagem nas costas. Lembre-se: você tem a voz do conhecimento. Quando ela recolhe a cabeça, muitos pensam que é covardia, mas na verdade, daí vem todo seu poder de concentração".
No "de que planeta você é?", eu sou Saturno: "o segundo maior planeta do sistema solar é conhecido pelos anéis e por ser o menos denso de todos. Se colocássemos Saturno numa gigantesca bacia d'água, ele flutuaria. Assim, podemos associar o planeta à leveza e à liberdade. Para os romanos, Saturno era o Deus das Colheitas e em sua homenagem eram promovidas as festas saturnais, em que senhores e servos invertiam os papéis. Para os gregos, Saturno é Cronos, o tempo. É ele que nos dá a noção de continuidade e fixa a rigidez à nossa vida. É responsável pela fidelidade e constância. Rege os signos de Áquário e Capricórnio. Você, que vem de Saturno, está sempre em busca de novidades, de quebrar regras e se libertar do que é estabelecido. Ao mesmo tempo, gosta de ter controle e das coisas organizadas. Além disso, é despreocupado e leve como uma pluma".
Como disse, é uma divertida brincadeira.


sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Simplicidade...


Depois de muito tempo ontem eu acabei tomando chuva (quem mandou esquecer o guarda-chuva em casa, já que ouviu a previsão do tempo no rádio e soube que a chance de chover era grande).
Confesso que no começo foi meio desagradável, fiquei meio encolhida, olhando pra baixo, mas depois pensei: "mas eu estou querendo evitar o quê? Estou sem guarda-chuva mesmo".
Posto isso encarei a chuva, afinal, o tempo estava fresquinho, tomar chuva nem é algo tão ruim (claro, fosse numa praia, no finalzinho da tarde seria muito melhor) e eu estava indo para casa. Desmanchei aquela ruguinha na testa, descruzei os braços, arrumei a postura e fui.
Aquele começo desagradável passou e, para variar, comecei a filosofar: quando a gente é criança curte tanto tomar chuva, aí vira adulto e se chateia mesmo sabendo que está indo para casa e não há nada de mais chegar em casa molhado; o quanto a gente deixa de curtir pequenas coisas: como tomar chuva, observar nascer e pôr-do-Sol, etc.; e, ainda, quantas coisas na nossa vida a gente encara como coisas desagradáveis quando na verdade não são?
Resumindo: adorei tomar chuva ontem, rsrs.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Trilha sonora

Se você conseguir ouvir essa música sem mexer um músculo, é difícil imaginar quem é você, rsrs.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

domingo, 7 de dezembro de 2008

Trilha sonora


Nem todo mundo é do jeitinho que a gente imagina, "o bom é não iludir ninguém", porque quem gosta da gente, ama nossas qualidades e aprende a conviver com os defeitinhos, rsrs.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Frases

"No fim o que você pode fazer é se comprometer com as pessoas que ama, esperar por um pouco de sorte e que faça bom tempo".

(Ah, essa foto também é minha)

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

O beijo


Eu te beijo de olhos fechados, apertados, com o coração acelerado, frio na espinha e sensação de primeiro beijo.
Eu sinto sua boca, sua respiração, sinto sua pele na ponta dos meus dedos enquanto eles passeiam pelo seu rosto outras vezes o seu cabelo na palma da minha mão.
Sinto seu corpo contra o meu, suas formas, seu calor, o conforto do seu abraço.
E afastando-me suavemente dos seus lábios, quase sem ar, abro os olhos para admirar-te.
Nesses momentos o tempo parece parado.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

domingo, 30 de novembro de 2008

Homens...


Eu adoro conversar com homens, a simplicidade e a praticidade masculina é algo que me toca profundamente.

sábado, 29 de novembro de 2008

Trilha sonora





Mais Florbela Espanca, aqui na linda voz de Fagner.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

É sempre bom agradecer...


Canção grata
Por tudo o que me deste
inquietação, cuidado
um pouco de ternura
é certo mas tão pouca
noites de insonia
pelas ruas como louca
obrigada, obrigada

Por aquela tão doce
e tão breve ilusão
embora nunca mais
depois de que a vi desfeita
eu volte a ser quem fui
sem ironia aceita
a minha gratidão

Que bem que me faz agora
o mal que me fizeste
mais forte e mais serena
e livre e descuidada
sem ironia amor, obrigada
obrigada por tudo o que me deste

Por aquela tão doce e tão breve ilusão
embora nunca mais
depois de que a vi desfeita
eu volte a ser quem fui
sem ironia aceita
a minha gratidão.

Florbela Espanca

Florbela Espanca - poeta portuguesa, precursora do movimento feminista - teve uma vida tumultuada, inquieta, transformando seus sofrimentos íntimos em poesia da mais alta qualidade, carregada de erotização e feminilidade.

(Fonte: Wikipedia. Ah, a foto é minha).

sábado, 22 de novembro de 2008

"Adeus também foi feito para se dizer"

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final, se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu, pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó, mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora.
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.
Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és.
E lembra-te:
Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão.

Fernando Pessoa

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Reproduzindo...


Vez ou outra releio este trecho da Bíblia, aqui estou dividindo só o destaque:

Animem e ajudem uns aos outros, como vocês têm feito até agora.
Pedimos a vocês que respeitem aqueles que trabalham entre vocês, isto é, aqueles que foram escolhidos pelo Senhor para guiá-los e ensiná-los. Tratem essas pessoas com o maior respeito e amor, por causa do trabalho que fazem. E vivam em paz uns com os outros.
Tomem cuidado para que ninguém pague o mal com o mal. Pelo contrário, procurem em todas as ocasiões fazer o bem uns aos outros e também aos que não são irmãos na fé.
Estejam sempre alegres, orem sempre e sejam agradecidos a Deus em todas as ocasiões. Isso é o que Deus quer de vocês por estarem unidos com Cristo Jesus.
Não atrapalhem a ação do Espírito Santo. Não desprezem as profecias.
Examinem tudo, fiquem com o que é bom e evitem todo tipo de mal.
Que Deus, que nos dá a paz, faça com que vocês sejam completamente dedicados a ele. E que ele conserve o espírito, a alma e o corpo de vocês livres de toda mancha.
Nosso Senhor Jesus Cristo esteja com vocês!
Tessalonicenses cap. V.

Dentre todas essas recomendações o maior exercício, principalmente para uma escorpiana, é não pagar o mal com o mal, mas tenho me saído bem, rsrs, não faço aos outros o que não gostaria que fizessem comigo e também não gasto minha energia com quem não vale a pena.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Trilha sonora

Encanta, inspira, enfim, toca minha alma.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Trilha sonora

Mais da menininha que existe em mim, rsrsrs.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Simplemente ser II


Não se deixe levar pelo preconceito. Se você cruzar com um tipo honesto, corajoso, íntegro, intenso, magnético, profundo, reservado, perspicaz, enigmático e fiel até que a morte os separe, corra e agarre esta oportunidade, porque você terá topado com um escorpionino.
Seu astrólogo diz que os escorpiões são traiçoeiros? Mude de astrólogo, porque o escorpião tem um senso de lealdade só comparável ao de um mafioso siciliano - se você mantiver sua palavra, ele manterá a dele até debaixo de uma saraivada de balas. Sua melhor amiga diz que os escorpiões são don-juans incuráveis? Troque de amiga, porque o escorpião, embora tremendamente ligado ao sexo, é tão seletivo que prefere uma vida monástica a transar com qualquer um. Você andou lendo que o escorpião é um dissimulado? Largue esse livro pelo último de Agatha Christie, pois a notória reserva escorpionina não tem nada a ver com hipocrisia.
Um escorpião nunca mente, só omite - e na maior parte das vezes está repleto de razões, porque sua fabulosa antena psíquica pescou que o interlocutor em questão não é lá muito confiável. Esta, talvez, seja a principal característica deste signo cujo mito mais esclarecedor é o de Lúcifer, o anjo decaído, não por noitadas em excesso, mas por uma lucidez além dos limites: o grande pecado do escorpião, como o do ex-anjo, é um orgulho excessivo. Excessivo, mas não descabido. O probleminha de Lúcifer era que enxergava certas razões ocultas por trás da cantoria dos querubins - um desejozinho secreto de promoção naquele arcanjo que emitia uma nota mais aguda. Por isso ele acabou expulso do Paraíso, onde críticas não são facilmente digeridas. A mesma complicada sina ocorre com os terrenos escorpioninos: como eles são providos de uma espécie de olhar de raio X, que detecta as piores intenções até nos melhores sorrisos, acabam se tornando ossos duros de roer. Um escorpionino tem um faro imcomparável para imposturas, o que lhe torna difícil a vida em sociedade. Isto o transforma, muitas vezes, num introspectivo de cenho franzido: sua capacidade de captar algo de podre no reino da Dinamarca não tem paralelo, em todo zodíaco e em qualquer estatística. Mas se o escorpião saca tudo, inclusive o pior de cada um, é porque tem uma sensibilidade que chega às raias do insuportável. O que o torna, também, muito solidário com o sofrimento alheio - nada de estranhar que Ghandi tenha ascendente em escorpião. Um escorpião nunca foge de problemas. Não fuja dele, portanto, a não ser que você queira passar o resto da vida bocejando entediado.

Texto de Marília Pacheco Fiorillo e Marylou Simonsen, publicados no livro Use e Abuse do seu Signo.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Coisas de mulher...

"Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir.Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor, mas... permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude.Eu saio em conta, você não gastará muito comigo. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sozinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. (Então fique comigo quando eu chorar, combinado?). Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, os pelos do peito e um joelho esfolado, você tem que se esfolar às vezes, mesmo na sua idade. Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes. Me enlouqueça uma vez por mês, mas me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca... Goste de música e de sexo, goste de um esporte não muito banal. Não invente de querer muitos filhos, me carregar pra a missa, apresentar sua familia... isso a gente vê depois... se calhar... Deixa eu dirigir o seu carro, que você adora. Quero ver você nervoso, inquieto, olhe para outras mulheres (mas apenas olhe), tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos... me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções. Me rapte! Se nada disso funcionar... experimente me amar!" - Marta Medeiros

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Trilha sonora

Para continuar no clima do fim de semana...

domingo, 9 de novembro de 2008

E num domingo desses...


Vai dizer que você nunca pensou nisso...

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Reproduzindo...

Outro dia, ouvindo rádio, esse comentário de Max Gehringer chamou minha atenção:

"Com frequência, como ocorre com muitos ouvintes, eu também sou incluido naquelas famosas listas em que alguém, com a melhor das intenções, envia para dez pessoas um texto altamente inspirador. Aí cada uma que recebe envia para mais dez que, por sua vez, envia para outras dez criando uma corrente que não acaba mais. Ontem recebi o poema Instantes que, durante algum tempo, foi atribuido ao grande escritor argentino Jorge Luís Borges e, incrivelmente, voltou a ser, pelo menos na mensagem que recebi. É aquele poema que começa dizendo: 'se eu pudesse viver novamente a minha vida na próxima trataria de cometer mais erros..." e, em seguida, relaciona as muitas coisas que faria e pede desculpas a si mesmo por ter vivido sensata e produtivamente cada minuto de sua vida. O texto, reproduzido em milhares de sites pelo mundo e em pelo menos cinco idiomas, não é de Borges, como já foi provado há algum tempo. O poema apareceu num livro de auto-ajuda de 1971 do professor americano Richard Alpert, que adotou o nome espiritual de Baba Ram Dass. Na obra o professor atribui o poema a uma americana chamada Neide Ster (não sei se é assim que se escreve), sobre a qual não exitem informações na internet, o que levanta dúvidas até sobre a sua real existência. Por que então o poema acabou sento atribuído a Borges? Para dar credibilidade à mensagem contida nele. Mas os especialistas na vasta obra de Borges desconfiaram a primeira vista do conteúdo do poema porque Borges era um trabalhador incansável que lapidava cada linha de seus escritos muitas e muitas vezes e isso tomava tempo, exatamente o tempo que Borges não poderia desfrutar para, como diz o poema, andar descalço pelas ruas de seu bairro do começo da Primavera até o fim do Outono, se tivesse usado seu tempo para cometer mais erros como diz o poema, Borges não teria sido Borges. Sua brilhante carreira foi construída como se controem as grandes carreiras, com talento, muito esforço, dedicação integral ao trabalho e, principalmente, no prazer de fazer o que se faz e não na lamentação por não ter feito o que não se fez".

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Trilha sonora

Ainda no clima de dia das bruxas...

domingo, 2 de novembro de 2008

Finados

Hoje fazemos orações àqueles que partiram.
Hoje relembramos momentos, sentimos saudades...
A morte é das poucas coisas que é igual para todos

sábado, 1 de novembro de 2008

Escuta...

Não posso pedir-lhe desculpas pelo meu jeito de ser,
mas peço que me perdoe por minhas palavras
ou o jeito estabanado que as disse.
Posso lhe dizer que sou humana, imperfeita,
que estou melhorando, que escutei quando disse:
“nem todos pensam como você”,
“ouça mais do que fale”, enfim,
mas ainda assim eu disse.
Talvez você não me veja como antes
e por isso eu não o veja mais.
Mesmo assim quero que saiba que descobri que te amo,
foi um amor prevenido, talvez por isso dito de forma tão estranha.
Não posso perdir-lhe desculpas pelo meu jeito de amar,
somente que perdoe-me por minhas palavras
ou o jeito estabanado com que foram ditas.

Isabel

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Eu confesso



Inconfesso Desejo

Queria ter coragem
Para falar deste segredo
Queria poder declarar ao mundo
Este amor
Não me falta vontade
Não me falta desejo
Você é minha vontade
Meu maior desejo
Queria poder gritar
Esta loucura saudável
Que é estar em teus braços
Perdido pelos teus beijos
Sentindo-me louco de desejo
Queria recitar versos
Cantar aos quatros ventos
As palavras que brotam
Você é a inspiração
Minha motivação
Queria falar dos sonhos
Dizer os meus secretos desejos
Que é largar tudo
Para viver com você
Este inconfesso desejo

Carlos Drumond de Andrade

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Trilha sonora

Muitas reflexões, muitas idéias, muitos desejos...

Bom, vamos tocando em frente e indo a luta, porque o tempo é curto e a vida não pára, uhu...

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Eu queria...


Sabe aquele processo do filme Matriz em que o personagem pede e, através de um programa, consegue aprender tudo sobre determinado assunto? Pois é, depois de um fim de semana tão intenso fiquei pensando no tanto de livros que gostaria de ler, habilidades que gostaria de desenvolver, dados que gostaria de saber, enfim..., podia ser fácil como no filme não é?

domingo, 26 de outubro de 2008

Mandrágora

O jovem florentino Calímaco, por conta de uma aposta, conhece e passa a desejar furiosamente uma mulher casada que não consegue ter filhos com seu marido. Para conquistá-la, com ajuda de um jovem embusteiro, de um frei sem escrúpulos e da mãe da recatada esposa, ele finge ser médico e receita um tratamento a base de mandrágora, uma planta afrodisíaca.
A Mandrágora, escrita em 1503, é considerada um marco no teatro ocidental. Os fins justificam os meios, dizia Maquiavel, que constrói um texto onde a conquista amorosa, com suas urgências e exaltações, servem como pretexto para desenvolver um tratado prático e saboroso sobre estratégia política, sobre a arte de envolver, manipular, convencer e, por fim, conquistar um objetivo.
Achei divertido, rômantico, crítico (num domingo de eleição então...), enfim, uma delícia.
Ah, meninas, os protagonistas são uns moços que, se bobear, nos distraem, rsrs.

A Mandrágora

Com: grupo Tapa
Texto: Nicolau Maquiavel
Direção: Eduardo Tolentino
Com: grupo Tapa
Onde: Teatro Nair Bello
Endereço Rua Frei Caneca, 569 ,Shopping Frei Caneca, 3º piso
Tel. 3472-2424
Quando: Sexta, 21h30; sábado, 21h; domingo, 19h.
Fonte: Guia da Semana

Eleições...

Brincadeiras a parte, votar, pelo menos para mim, já foi um momento especial.
Eu já participei de campanhas, já fiz boca de urna, enfim, tinha convicção que meus candidatos poderiam fazer a diferença.
Continuo analisando meus candidatos e procuro fazer a minha parte, mas hoje, votar é só cumprir o meu dever.

sábado, 25 de outubro de 2008

E mais teatro

A comédia "Não contém glúteos", como está no blog do grupo: "é uma peça sobre tudo e sobre nádegas, que retrata de forma porca e enviesada a sociedade brasileira contemporânea".
Provoca boas risadas.

Não contém glúteos
Com: grupo Olaria Grandes Bosta
Espaço Parlapatões
Pça. Franklin Roosevelt, 158
Telefone: 3258-4449.
Quando: sextas Oh

Nada acontece por acaso

A peça A Filosofia na Alcova, mostra a educação sexual da jovem Eugénie de Mistival, tendo como mestres Madame de Saint-Ange e Dolmancé, dois dos personagens mais depravados da história do teatro. Participam também outros personagens, como o jardineiro e o irmão de Saint-Ange. As "lições" incluem todos os tipos de práticas sexuais, com demonstrações práticas sempre coroadas por orgasmos filosóficos, já que durante todo o tempo os personagens dialogam não só sobre sexo mas também sobre assuntos como religião, política e direito.
Dado o momento da minha vida o personagem Eugénie foi a que mais me chamou a atenção, o modo como ela recebe as "lições", como as compreende ou não, como a modifica.
Confesso que o despudor dos atores foi um tanto chocante, mas os orgasmos filosóficos realmente provocam reflexos.

A Filosofia na Alcova

Com: grupo Os Satyros
Duração: 80 minutos
Classificação: 18 anos
Texto e direção: Rodolfo Garcia Vázquez
Espaço dos Satyros 2
Pça. Franklin Roosevelt, 134
Telefone: 3258-6345.
Quando: terças e sextas 21 h

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Ops...

Cuidado com o tic-tac que lhe oferecem e boa balada pra todos, afinal, hoje é sexta!!!!

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Minha estrela

Seu charme sempre me causou fascínio,
mas você me conquistou com canções,
com você pude realizar fantasias,
você é magia, aventura, emoções.

E quando você está perto,
todos os meus sentidos são despertos,
você faz de cada momento um sonho
você faz cada sonho, eterno.

Então poupe-me de seus defeitos,
imperfeições e afins,
eu te quero sempre perfeito
como tens brilhado para mim.

E há outro pedido a fazer,
seja cuidadoso comigo, minha estrela,
porque gosto de te admirar,
e para sempre quero que assim seja.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Então é isso

Em todos os momentos eu o desejo,
e meus pensamentos não estão por aqui,
eles o procuram, seu sorriso, seu calor...

Eu tenho a cidade, eu tenho as luzes, as cores,
mas sou soberana das minhas vontades
se nada me faz inteira porque não tenho você?

E começo a pensar se fui dona do seu instante,
parte importante da sua vida
ou apenas mais alguém que seu desejo convocou.

Naquele momento eu o tive de verdade?
E se ninguém perde o que não tem,
por que o lamento?

Isabel

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Paixão...



Sinto-me saltando de pára-quedas cada vez que entrego um pedaço do meu coração para você: “será que ele vai abrir?”.
Mas posso dizer que a sensação do desafio, da liberdade, do vôo, do perigo, é melhor que a paz. A paz é para as guerras, para os conflitos, para a alma, não para os homens.
Os desafios, as buscas, as descobertas, é que nos engrandecem, não descobrimos nossos limites até que nos colocamos à prova ou até sermos testados, e é sempre maravilhoso quando descobrimos do que somos capazes.
E aí penso que não há sentimento que nos traga mais movimento e mais desafios que a paixão.

(foto de João Gaspar Rocha)

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Fácil e difícil

Fácil é entorpe-me com o brilho dos seus olhos,
Difícil é quando eles não estão fixos em mim.

Fácil é encantar-me ouvindo sua voz doce, porém forte,
Difícil é quando seu silêncio me alcança.

Fácil é perder-me nos teus beijos,
Difícil é quando sua boca não chama meu nome.

Fácil é admirar seu sorriso,
Difícil é ficar longe dele.

Fácil é entregar-me a você,
Difícil é não saber quando.

Isabel

Eu vou...

Eu quero vento nos cabelos,
calor do Sol,
e a brisa do mar.

Eu quero frio na espinha,
abraços aconchegantes,
e beijos quentes que me façam suar.

Eu quero frisson de aventura,
alegria de uma criança,
desejo de uma adolescente.

Porque de agora em diante, eu vou viver intensamente.

Isabel

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Trilha sonora.

E a cada dia desabrochar...

domingo, 12 de outubro de 2008

Dia das Crianças.


Aproveitando que é Dia das Crianças, que a gente seja sempre um poquinho menos chatos, sérios, profundos. Vamos deixar tudo isso para as horas em que é inevitável: mortes, separações, dores e afins.
Vamos esquecer o que falaram sobre ser adulto de não brincar com comida, não falar besteira, não ser imaturo, não chorar, não andar descalço, não tomar chuva.
Vamos brincar, jogar video game, pular corda, contar piadas, passear no parque, comer algodão doce.
Vamos rir alto, rir de si mesmo, dos próprios defeitos, de quem acha defeitos em nós.
Vamos dançar: bonitinho, desajeitado, vamos rebolar com o bambolê e brincar de se esconder.
Vamos cantar sozinho, com alguém, afinados ou desafinados.
Vamos lamber a tampa do iogurte, a ponta dos dedos, fazer guerra de pipoca.
E, principalmente, vamos ser um pouquinho inocentes, vamos sonhar, vamos acreditar em nossos sonhos, nas pessoas, na vida.
Feliz Dia das Crianças.

sábado, 11 de outubro de 2008

Um certo alguém

Inunde meus pensamentos com suas palavras,
deixe seu toque por todo meu corpo,
sua presença em minhas sensações.

Seja inesquecível,
seja apaixonante,
seja necessário como o ar.

Eu vou te querer,
eu vou suspirar,
vou sentir meu coração bater forte.

Quero você em meus sonhos,
quero em meu dia muitas coisas boas de lembrar,
quero em minha vida o calor de cada momento que estou ao seu lado.

Isabel

Meu lado poetisa, rsrs.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

"Vamos viver tudo o que há pra viver".

A arte de amar

Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
A alma é que estraga o amor.
Só em Deus ela pode encontrar satisfação.
Não noutra alma.
Só em Deus ou fora do mundo.
As almas são incomunicáveis.
Deixa o teu corpo entender-se com outro corpo.
Porque os corpos se entendem, mas as almas não.

Manuel Bandeira

Manuel Carneiro de Sousa Bandeira Filho foi um poeta, crítico literário e de arte, professor de literatura e tradutor brasileiro. Considera-se que Bandeira faça parte da geração de 22 da literatura moderna brasileira, sendo seu poema Os Sapos o abre-alas da Semana de Arte Morderna de 1922. Juntamente com escritores como João Cabral de Melo Neto, Paulo Freire, Gilberto Freyre e José Condé, representa a produção literária do estado de Pernambuco. (Wikipédia)

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

"Eu só quero saber do que pode dar certo..."

Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.
Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
Por que sofremos tanto por amor? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.
Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso:
Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

Carlos Drumond de Andrade

Nasceu em Minas Gerais, em uma cidade cuja memória viria a permear parte de sua obra, Itabira. Posteriormente, foi estudar em Belo Horizonte e Nova Friburgo. Formado em farmácia, com Emílio Moura e outros companheiros, fundou "A Revista", para divulgar o modernismo no Brasil. Durante a maior parte da vida foi funcionário público, embora tenha começado a escrever cedo e prosseguido até seu falecimento, que se deu em 1987 no Rio de Janeiro, doze dias após a morte de sua única filha, a escritora Maria Julieta Drumond de Andrade. Além de poesia, produziu livros infantis, contos e crônicas. (Wikipédia)

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Trilha sonora

Músicas são como paixões, vem chegando, tomando conta e quando você percebe já está completamente entregue.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Celebrando a amizade.

É muitíssimo bom estar com amigos curtindo, rindo, conversando, enfim....
Somos seres únicos no universo, vivenciando as mais diferentes situações e, por isso mesmo, estarmos juntos para conversar significa muito mais que um encontro, significa que podemos trocar idéias, pontos de vista, dividir experiências, boas ou ruis, vitórias e derrotas a que todos nós, seres humanos, estamos sujeitos.
Já dizia alguém que "amar se aprende amando". Eu também diria que "viver se aprende vivendo", "dirigir se aprende dirigindo", "sexo se aprende praticando", etc. etc. etc., mas também podemos aprender ouvindo.
Dividir para somar – acho que esta seria a frase – dividimos as nossas experiências, dolorosas ou não, conhecimento, idéias, mudam-se alguns conceitos, realçam-se outros e a vida se torna mais bela.
"Os semelhantes se atraem. Limita-te a ser quem és: sereno, transparente e brilhante. Quando irradiamos o que somos, quando só fazemos o que desejamos fazer, isto afasta automaticamente quem nada tem a aprender conosco e atrai, sim, quem tem algo a aprender e também algo a nos ensinar" – Richard Bach, Ilusões.
Essa diferença que nos torna únicos, nos torna especiais, compartilhada, nos traz a amizade. A amizade que celebramos quando estamos juntos.
Estou aqui não porque devo estar, nem porque me sinto cativo nesta situação, mas porque neste momento, prefiro estar com vocês, vivenciando isto, a estar em qualquer outro lugar no mundo inteiro.

sábado, 4 de outubro de 2008

Engraçadinho


É como diz o poeta Raul: "o ponto de vista é o ponto da questão".
Bom fim de semana

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Simplesmente ser


Sou filha, irmã, prima, tia, madrinha e amiga.
Sou apaixonada, sonhadora e adolescente.
Sou determinada, disciplinada e responsável.
Sou princesa, escorpiana, profissional e prendada.
Sou são-paulina, atleta amadora, dançarina e baladeira em ocasiões especiais.
Ainda serei muitas outras.
Walter Franco diz que tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranqüilo, mas eu acho melhor assim: tudo é uma questão de manter a mente ABERTA, a espinha ereta e o coração tanqüilo.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Receita de bolo

Meu vizinho queria fazer um bolo, me pediu a receita
Eu não tinha a receita, mas eu tinha vinte anos
Fui ajudar
Não tinha farinha para ele amassar com as mãos
Ofereci meu corpo, ele amassou
Não tenho açucar, ele me disse
Ofereci meus lábios, ele beijou
Ele era bom cozinheiro
Pôs o leite pra ferver
O leite fervia no meu corpo inteiro
Nós dois queríamos fazer o bolo, mas e a receita?
Ele abriu o caderno, estava escrito me ama
Não fomos mais para a cozinha fomos pra cama.

Claire Feliz Regina

Quem visse aquela senhora de 80 anos declamando, olhar malicioso, versos sensuais, num teatro lotado de jovens, não imaginaria sua história de vida. Nos últimos 50 anos, a auditora fiscal Claire Feliz Regina trabalha na Receita Federal, onde se especializou em imposto de pessoa física. Não pensava em se aposentar até o ano passado, quando, por acaso, descobriu uma nova paixão. "Minha vida será agora dedicada à poesia". Ao completar 79 anos, ela se propôs a escrever um livro com dicas sobre como melhorar o relacionamento familiar e amoroso. Mas, em vez de prosa, saíram versos - e, com eles, vieram a vontade da aposentadoria, para iniciar a experiência. (Gilberto Dimenstein)


segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida...

Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito:
"Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes".
No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório. Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:
- Quem será que estava atrapalhando o meu progresso?
- Ainda bem que esse infeliz morreu!
Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas. Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles.
A pergunta ecoava na mente de todos: "Quem está nesse caixão"?
No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo... Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo. "SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU(SUA) NAMORADO(A) MUDA. SUA VIDA MUDA... QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA."
O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a visa é que faz toda diferença. A vida muda, quando "você muda".
Luís Fernando Veríssimo

domingo, 28 de setembro de 2008

“O amor é como o vento, a gente não vê, mas a gente sente!!"

Não minta para mim para ter meu coração, não é preciso, você já chamou minha atenção, já me encantou, eu já estou apaixonada.
Não minta para mim para me manter cativa, mais do que ser fiel à você, sou fiel a mim, sou fiel ao que sinto e, se estar em sua companhia é o que quero, nenhuma outra o substituirá.
Para mim o amor é simples assim: tem paixão, respeito, cuidado, carinho e doação.
Agora o meu amor é seu e assim o será pelo tempo que durar. Alguém pode até dizer que este tempo é perdido, mas nenhum tempo é perdido quando a gente se permite viver com menos medo e mais amor.


domingo, 21 de setembro de 2008

Ciúmes...

Para que serve o ciúmes?
Para pessoa de quem se sente é um afago no ego, um carinho, um cuidado? E para pessoa que sente? Somente para aborrecê-la.
Então para que se aborrecer se podemos demonstrar carinho e cuidado de outras formas, muito mais significativas e muito menos estressante? Para que gastar tanto tempo e energia se aborrecendo?
Quando não é possível confiar no ser amado, em sua responsabilidade para respeitar todo amor e carinho que você dedica, sentir ciúmes e sair por aí fazendo bobagens não mudará os fatos e, sendo assim, não se desgaste a toa.

Achei essa frase muito bonita: "Tem muita mentira por aí, mentirinhas bobas, mentiras graves, mentiras por conveniência... As pessoas mentem por várias razões, mas só falam a verdade por uma. É uma escolha" (Saved)


quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Apaixone-se

Quando estiver diante da oportunidade de viver uma grande paixão, apaixone-se.
Eu sei, dá um medo danado, afinal a paixão é tao arrebatadora, é um turbilhão de emoções tão grande que parece até que você não sairá vivo, mas creia, você sairá.
Aliás, penso que se você se permitir sairá mais vivo do que nunca, porque viverá tantas emoções num instante: mão geladas, friozinho na barriga, que se transforma num gelo sem fim no estômago e, de repente, um abraço, um beijo, e fica tudo quente, fervendo. Pode lhe faltar o ar em um minuto e, no outro, você está suspirando tão profundamente. Um dia comum fica cheio de cores porque o ser amado ligou pra dar bom dia, e aí é impossível não ser feliz, um outro dia só cores gris, afinal ele não ligou, enfim, um turbilhão.
Tudo bem, pode ser que você saia com alguns arranhões ou até pensar que sairá despedaçado, porque certamente não sairá ileso, mas tudo isso faz parte do aprendizado, você não saiu sem nenhum arranhão quando aprendeu a andar de bicicleta, mas não foi delicioso quando finalmente pode sair num dia radiante de Sol, andando por aí, sentindo o vento no rosto?
Se, por ventura achar que seu coração está despedaçado, ao invés de ficar juntando os cacos para colar de novo, pense que cada pedacinho é um momento da sua paixão, você verá que romance interessante você mesmo escreveu e talvez perceba que não tem nada despedaçado.


terça-feira, 2 de setembro de 2008

Recomeçar

"Todas as histórias têm um final, mas, na vida, todo final é apenas um novo começo".
Essa frase é do filme "Grande menina, pequena mulher" e achei muito interessante, realmente na vida o final é apenas um novo começo, do contrário, é a morte.
Você termina um romance, começa outro, você termina a faculdade, começa um curso, uma especialização, morre um parente, nasce um outro, tudo recomeçando e veja bem, recomeçando, porque nada se repete.
Vamos vivendo várias histórias, com vários personagens diferentes, vamos aprendendo, mudando, revendo, e o mais legal, nunca partimos do zero, não se zera o contador quando se recomeça, vamos acrescentando, eu prefiro acrescentar só as coisas boas e você?

sábado, 30 de agosto de 2008

Cinema

Cinema é outra paixão em minha vida e, se você prestar atenção, nos diz muito.
Hoje assisti O Procurado, sugestão de uma amiga querida, uma excelente sugestão aliás.
É um filme de ação e, como tal, tem seus exageros, afinal, os efeitos especiais estão aí pra isso, o filme conta a história de Wesley Gibson (James McAvoy), jovem de 25 anos de idade que tem sua vida transformada ao conhecer Fox (Angelina Jolie), uma mulher enigmática e sedutora que o contrata para uma sociedade secreta chamada de Fraternidade. Mas o que eu adorei foi a mensagem: você quer ser o carneiro ou o lobo? A escolha é sua.
Mudar seu destino pode ser aterrorizante, você é capaz de fazê-lo?

domingo, 27 de julho de 2008

Falando sobre a vida

Tudo em sua vida têm 50% de chance de dar certo e os mesmos 50% de dar errado, mas cabe a você definir esse percentual, logo, você pode torturar sua vida sempre esperando o melhor, o pior ou, simplesmente, viver.
Às vezes chego a conclusão de que o que complica tudo são as expectativas, você fica tão concentrado no resultado que nem percebe a busca, não percebe a beleza das mudanças, não percebe a estrada, as pessoas, enfim, o que te levou até lá.
Imagine que sem graça uma viagem onde você está tão preocupado em chegar que nem se deu conta da paisagem dos lugares pelos quais passou?
Então que tal observar a bela viagem que é sua vida?
Abrir os olhos e ver todas as cores, luzes, sombras; sentir o toque de um par, perfeito para aquele momento, um abraço gostoso das pessoas queridas; sentir o gosto doce de uma maça, amargo do limão, picante da pimenta; escutar o som gostoso de uma boa música, delicado de um sussuro; ou o cheirinho do mato depois de uma chuva, um bom perfume, uma comidinha caseira.
Que tal prestar atenção numa única frase que alguém lhe diz e que pode mudar alguns conceitos, ver como mudar faz parte da vida, mudar a casa, a cor do cabelo, mudar de idéia.
Os acontecimentos não são só bons ou só ruins, mas uma coisa é certa, você pode tirar proveito deles sempre.

domingo, 20 de julho de 2008

"Quando um certo alguém cruzou o seu caminho..."

Depois de passar um longo período da minha vida vivendo em funcão de um provável futuro, mudar não foi uma decisão fácil, foi uma decisão necessária, viver o presente era preciso, esse presente me chamava, mas apesar de tentar ignorar seu grito, eu o ouvia.
Vamos mudar, mas..., mudar o quê? Vivendo o provável, eu não sabia mais como era receber o presente e acabei indo parar no passado. Quando você não entende o que aconteceu, o que te levou até aquele lugar, olhar para trás lhe parece inevitável, mesmo quando você sabe que esta não é a melhor forma.
Daí você começa as mudanças, mas por que será que a gente sempre começa as mudanças por fora? Mudei o mundo ao redor, mudei o corpo, o cabelo, mas e dentro, onde realmente é importante? E aí vai outra pergunta, por que alguém sempre enxerga sua alma antes de você?
Um amigo teve a sensibilidade de fazer isso e o mais importante, dividiu isso comigo. Olhou para mim, de um modo que eu jamais saberei explicar, mas me disse o que eu precisava ouvir: o passado já foi, o futuro não é previsível, mas o presente, esse você pode receber se quiser: "não desista de você".
E foi o que fiz, recebi meu presente de todas as formas, recebi dele e, principalmente, de mim.
Essa frase eu vi em um filme: "Algumas vezes as pessoas que conhecemos nos mudam para sempre".
Eu não sei se ele percebeu tudo o que fez por mim, se minha amizade é tão importante pra ele, quanto a dele foi e é para mim, mas gostaria que sentisse em sua alma.
Existem muitas formas de amor, uma delas é a que eu dedico à você, Lindo.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Sobre o texto abaixo.

Não sei se porque sou mulher, mas alguém aí já viu um MANUAL DO HOMEM RESOLVIDO?
E aí vem uma dúvida, por que alguém cria um texto desses?
Parto do princípio que "uma mulher resolvida", ou melhor, qualquer pessoa "resolvida", sabe o que quer, sabe seus limites, sabe o que pode suportar e o que quer suportar, enfim, se conhece, portanto, um manual como esses não serve absolutamente para nada.
Penso que uma pessoa "resolvida" faz o que quer, independente de qualquer convenção, porque sabe o que busca com suas atitudes.
Bom, sinceramente, acho que não entendi o que esse tal MANUAL DA MULHER RESOLVIDA quer dizer.

Você já deve ter lido isso em algum lugar.

MANUAL DA MULHER RESOLVIDA

1) Se ele se interessou, ele liga!!!! É isso mesmo, quando o cara quer, não existe falta de tempo, não tem projeto importante, morte da tia ou trânsito maluco que o impeça de te convidar para sair.
2) Passou uma semana sem ouvir notícias dele? Esquece, parte para outra! Ligar para saber se está tudo bem, nem pensar! Homem que está perdido merece ser encontrado morto no apartamento, e pelo zelador do prédio, porque os vizinhos não agüentam mais o fedor de carniça.
3) Vocês saíram e ele não ligou mais. Foi porque você deu? Ou foi porque você não deu? Na verdade, pouco importa. Se o que ele estava a fim era de sexo, e rolou, ótimo! Sexo é que nem pizza: bom até quando é ruim. Mas se você não deu, ele provavelmente não te procurou mais porque achou que ia dar muito trabalho. Ou seja, pare de se atormentar porque transou ou não!!! Duas lições: dar uma de difícil depois de uma certa idade já era!!! Ridículo fazer tipinho!!! E além do mais você vai se arrepender de ter dado e de não ter dado....
4) HOMENS COMPROMETIDOS - diga não!!! A relação dele está em crise, péssima, só falta oficializar o fim??? Ótimo! Se ele quiser continuar infeliz, dane-se! Senão, ele termina de uma vez e depois te procura, combinado?
5) Ouviu aquela frase clássica: "Você é boa demais para mim..." Acredite, amiga! É mesmo!!! Descarte o cidadão e pare de bancar a Madre Tereza de Calcutá!
6) NÃO TENTE... Não dá pra namorar um cara pelo qual você não tem um mínimo de admiração.
7) TRAIÇÃO Não continue com um cara que te chifrou se você não agüentar a onda de ser traída de novo. E olho vivo se ele já foi infiel com outras. A gente sempre acha que com a gente vai ser diferente. Esqueça!!! Nunca é!!!! E atenção! A "FILA ANDA"!!! Lembrem-se - "Pior do que nunca achar o homem certo, é viver para sempre com o homem errado"

A PARTIR DE HOJE NOSSO LEMA: "O HOMEM QUE NÃO DÁ ASSISTÊNCIA, PERDE A PREFERÊNCIA E ABRE CONCORRÊNCIA."

terça-feira, 1 de julho de 2008

Miss Imperfeita

Texto de Martha Medeiros publicado na Revista do "O Globo"

"Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes.
Sou a Miss Imperfeita, muito prazer.
Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado três vezes por semana, decido o cardápio das refeições, levo os filhos ao colégio e busco, almoço com eles, estudo com eles, telefono para minha mãe todas as noites, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões ligados à minha profissão e ainda faço escova toda semana - e as unhas! E, entre uma coisa e outra, leio livros.
Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic. Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO.
Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO.
Culpa por nada, aliás. Existe a Coca zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros. Seu pai e sua mãe acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho. Você não é Nossa Senhora. Você é, humildemente, uma mulher. E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.
Tempo para fazer nada. Tempo para fazer tudo. Tempo para dançar sozinha na sala. Tempo para bisbilhotar uma loja de discos. Tempo para sumir dois dias com seu amor. Três dias. Cinco dias! Tempo para uma massagem. Tempo para ver a novela. Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza. Tempo para fazer um trabalho voluntário. Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto. Tempo para conhecer outras pessoas. Voltar a estudar. Para engravidar. Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado. Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal. Existir, a que será que se destina? Destina-se há ter o tempo a favor, e não contra. A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê, para não-sei-quem. Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si. Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo! Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela. Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C. Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores. E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante.

sábado, 21 de junho de 2008

Falando de paixões...

A minha vida tem trilha sonora.
Música é algo vital para mim; acho que não sei viver sem sentir as notas, sem me deixar levar pelas ondas como se fosse uma folhinha de papel solta no vento.
Penso que não há par mais perfeito do que melodia e poesia: instiga a imaginação, energiza o corpo, acalma a mente, desperta os sentidos.
Não sei se há algo tão belo, tão tocante e tão expressivo quanto a música.

Alegria



Existe felicidade?


Eu penso que não; mas existem momentos felizes, existe alegria.
Como uma luz, que se acende e apaga; como a fúria da paixão, que dá e passa; como pequenos detalhes que tornam algo comum, especial.
Nossa vida não é toda azul, rosa, preta, cinza, enfim, ela é colorida, um pouco de cada.
E é bom sentir alegria, ficar um pouquinho triste, explodir de paixão, sentir saudade... isso é viver.

quarta-feira, 11 de junho de 2008

E sobre o texto de Heloneida Studart...

Esse texto me chamou à atenção, mas eu destacaria duas coisas:
1. O amor não tem convenções; seja estética, intelectual, sexual, etc.. O ser amado pode ser tudo isso ou só uma coisa ou uma coisa e outra, no fim, é só um ser amado.
2. Como pode ser ruim quando não assumimos nossos sentimentos, ruim para nós mesmos e para os que nos cercam.
Moral da história: quando estiver diante do amor, viva-o intensamente, pois nada do que os outros possam pensar vai fazer diferença quando você estiver sentindo saudades.

domingo, 8 de junho de 2008

Reproduzindo

O AMOR NOS TEMPOS DO SEXO
Heloneida Studart

Não me interesso por reis, nem os do baralho. Mas como me interesso pelo amor e, principalmente, por histórias de amor, não pude evitar o envolvimento, quando li que aconteceu o final feliz da saga amorosa do príncipe Charles, herdeiro do trono da Inglaterra e dessa senhora de meia-idade, Camila Parker, sua eterna namorada. Trinta e quatro anos de amor! Trinta e quatro anos entre dificuldades de toda ordem, imposições da família real, intrometimentos da Igreja Anglicana, casamentos com pessoas diferentes, cerimônias espetaculares (o casamento dele com Lady Diana foi um dos eventos de maior pompa que o Reino Unido já viu), filhos de outros matrimônios e o amor dos dois lá, brilhando, como uma luz extra-terrena, um sol perpétuo.
E nem se pode dizer que era um desses afetos eternizados pelas afinidades intelectuais e psicológicas como foi, por exemplo,o de Sartre e Simone de Beauvoir. Nada disso.O romance do feio e desengonçado filho da rainha Elisabeth com a feiosa Camila tinha fortes raízes eróticas, como mostrou o telefonema gravado de um diálogo entre os dois ("Eu queria ser um Tampax" etc.).
Ele a amou toda a vida como Florentino Ariza amou Firmina Daza, em Amor nos Tempos de Cólera, de Gabriel Garcia Marques. Não valeu o tempo, não importaram as rugas, as pelancas. O mundo inteiro, convertido aos mitos da beleza e da juventude, torceu para que ele amasse a formosa Diana. No entanto, o príncipe desengonçado só amou a sua bruxinha, com aquela cara amassada e cheia de marcas, com aquele corpo desgracioso.
Camila Parker Bowler é uma vitória do amor sobre todos os esteriótipos do nosso tempo. Juliana Paes, com seu traseiro formoso, inspiraria amor igual? E Luma de Oliveira, com suas coxas célebres? Seguramente, não.
Essa inglesa feia, de 57 anos (ela é até mais velha do que o príncipe) mostrou a todas as mulheres, as que não são jovens, não são belas, nunca aplicaram silicone ou usaram botox, que uma mulher pode ser amada por ela mesma - e para sempre. A obsessão pelos corpos sarados, pelas formas perfeitas, pelo estilo feminino top-model foi derrotada por esse obstinado romance.
O romantismo ganhou, o sentimento prevaleceu e as mulheres tidas como feias também podem sonhar com seu príncipe. Seja ele príncipe de verdade, ou de fantasia. Pertença à Casa de Windsor ou à casa nenhuma, com sobrenome Pereira ou Silva.
Camila Parker, Quando subiu ao altar, em cerimônia discreta, deve ter se sentido a mais linda das noivas. E certamente, à noite, quando mais uma vez se despir diante dele, o príncipe vai enxergar, não o corpo flácido de uma senhora, mas o corpo esbelto, juvenil, perfeito que possuem todas as mulheres, de qualquer idade, quando são amadas.

terça-feira, 3 de junho de 2008

E ainda sobre máscaras...


Não é facil ser quem és, vivemos em sociedade e, mal ou bem, precisamos de algumas aprovações, seja da família, dos amigos, dos colegas de trabalho.

As pessoas, às vezes, agem deste ou daquele modo nem sempre porque são verdadeiras, falsas, leais, desleais, legais, chatas, bondosas, maldosas, etc., mas, muitas vezes porque elas precisam que seus mundos fiquem a salvo quando agem assim, ninguém sai por aí mostrando suas fraquesas.

Mas é assim que aprendemos a amar, quando enxergamos além da "perfumaria".

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Máscaras

Acho que todos já ouvimos algo do tipo: "um dia as máscaras caem", mas... será mesmo?

Dia desses me ocorreu que talvez não sejam as máscaras que caem, mas que o tempo e a convivência fazem com que você veja a pessoa do jeito que ela é e não do jeito que você imaginava que fosse.

Daí, ao contrário do que diz a frase das máscaras, não é o outro quem te decepciona, porque se você só viu o lado de fora, você foi enganado por suas impressões mas..., como diz o poeta Raul: "é sempre mais fácil achar que a culpa é do outro".

domingo, 1 de junho de 2008

Reflexo

Reflexo: que se volta sobre si mesmo, reproduzido, reação, resposta.
Essas foram algumas das definições que encontrei no dicionário para a palavra que batiza este blog e a escolhi porque é exatamente assim que eu imaginei este espaço: um espaço para alguns pensamentos, algumas reproduções, reações, respostas.
Espero que gostem.


LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin